Dia de Olaria é comemorado com serviços à população Friburgo

Nesta segunda-feira (21), Nova Friburgo, comemora o Dia de Olaria. Olaria é o bairro mais populoso da cidade e as comemorações vão das 9h às 18h até o próximo domingo (27). |Durante a manhã desta segunda, serão oferecidos diversos serviços para os moradores, como recreação infantil, aferição da pressão arterial, teste de glicose e alongamento (com a participação de grupos da terceira idade.

As atividades vão ser realizadas em frente a igreja Nossa Senhora das Graças, onde serão executados os hinos de Olaria, Nova Friburgo e do Brasil, seguidos do ato ecumênico e discurso das autoridades. Na parte da tarde, haverá apresentações culturais: teatro infantil "Belinha e Sua Malinha", capoeira, música, como o hip hop e o concerto da banda Euterpe Friburguense.
Programação da semana
As comemorações pela data prosseguem durante a semana. haverá duas rodas de conversa no auditório da Igreja Batista, situada na rua Presidente Vargas, 60. No dia 22, terça-feira, Carlos Alberto da Fonseca Coelho anima o papo falando sobre o esporte, incluindo a história do antigo Serrano, cuja data de fundação se deu em 21 de abril, servindo de base para a criação, através de lei municipal, do Dia de Olaria.

No dia 24, quinta-feira, o assunto é o resgate da cultura de Olaria, com Ilma Santos, Lucília Galvão, Luiz Antônio Gomes e um representante da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Nova Friburgo (Acianf), que apóia o evento, junto a prefeitura, através da Subprefeitura de Olaria.
No dia 27, domingo, as festividades pelo Dia de Olaria serão encerradas com um desfile de bandas, também na praça do bairro. Participam as bandas do Colégio Municipal Dermeval Barbosa Moreira (reativada e que faz sua estréia), Ebenézer e do Colégio Nossa Senhora das Graças.


Trânsito em avenida de Friburgo, RJ, fica impedido durante Semana Santa

Interdição acontece por conta de obras na Avenida Galdino do Valle Filho.
Caminhões também ficarão impedidos de passar pelo Centro.




O trânsito do Centro de Nova Friburgo, Região Serrana do Rio,  sofrerá alterações a partir desta sexta-feira (18) até a terça-feira (22). A principal mudança acontece na Avenida Galdino do Valle Filho que terá o trânsito interrompido para todos os veículos. O motivo da interdição é uma obra de drenagem, com a colocação de manilhas para escoamento de águas pluviais para o Rio Bengalas. Nesse período será necessário cortar a pista para a implantação do manilhamento na altura da ponte branca , em frente ao antigo Clube dos 50.
Os caminhões e carretas, principalmente do polo cimenteiro de Cantagalo, não poderão circular pelo centro de Nova Friburgo. Os motoristas devem seguir pela rota do Carmo, saindo na BR-101. Os veículos grandes que chegarem ao trevo de Duas Pedras serão desviados pela RJ-130, em direção a Teresópolis, onde também poderão acessar a BR-101.
Os motoristas também devem ficar atentos aos eventos religiosos que devem acontecer na cidade. Cerca de 18 procissões estão previstas para acontecer em diferentes pontos da cidade.



Programação da Semana Santa 3



CATEDRAL SÃO JOÃO BATISTA

Informações: (22) 2522-1764

Quinta, 17: Dia da Instituição da Eucaristia e do Sacerdócio – 10h: Missa do Crisma, com a renovação de promessas sacerdotais presidida por Dom Edney e concelebrada pelos sacerdotes da diocese. 19h: Missa da Ceia do Senhor, presidida por Dom Edney, com rito do lava-pés, seguindo-se a vigília eucarística com o bispo, sacerdotes, diáconos, seminaristas, religiosos, ministérios, pastorais, grupos e comunidade.

Sexta, 18: Dia de jejum e abstinência, com continuação da vigília eucarística – 15h: Celebração da Paixão do Senhor, com adoração da cruz e comunhão, presidida por Dom Edney. 18h: Procissão do Senhor Morto e o Sermão das Sete Palavras.

Sábado, 19: 21h – Vigília Pascal, presidida por Dom Edney, com liturgias da luz, palavra, batismal e eucarística, seguindo-se a procissão eucarística da ressurreição. Os fieis devem levar velas.

Domingo, 20: Missas solenes de Páscoa, às 10h (presidida por Dom Edney), às 17h e 19h. 



PARÓQUIA DE SÃO CRISTÓVÃO (Mury)

Quinta, 17: 19h, em Varginha e 20h30, em Mury – Celebração eucarística da Ceia do Senhor com lava-pés. 19h, Debossan e Theodoro – Celebração da Palavra com lava-pés.

Sexta, 18: 9h às 11h, em Mury e Varginha – Vigília eucarística. 11h, Varginha – Celebração da Paixão do Senhor. 9h às 11h, em Theodoro e Debossan – Vigília eucarística. 14h, Mury – Procissão da Santa Cruz (início: em frente à carpintaria Germânica, na Av. Hamburgo). 15h, Mury – Celebração da Paixão do Senhor. 19h, ruas de Varginha – Encenação da Via Sacra.

Sábado, 19: 19h, em Varginha e 20h30, em Mury – Solene Vigília Pascal e celebração eucarística.

Domingo, 20: Procissão eucarística, seguida por Santa Missa – 7h30, em Varginha (em frente ao colégio), 9h30, em Mury (em frente aos Correios), 17h, em Theodoro (na ladeira da capela) e às 18h30, em Debossan (na praça).



PARÓQUIA NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS

(Praça Mons. Caetano Mielli 20, Olaria)

Quinta, 17: 19h, Missa da Instituição da eucaristia e do sacerdócio, com lava-pés e transladação do Santíssimo Sacramento. Início da vigília.

Sexta, 18: 15h, Ação litúrgica, com leitura da paixão de Cristo e veneração da imagem de Cristo na Cruz.

Sábado, 19: 21h, Missa da vigília pascal, com bênção do fogo e da água batismal (os fiéis devem levar velas).

Domingo, 20: 4h, concentração no início da Via Expressa para procissão da ressurreição (os fiéis devem levar velas). 4h30, Procissão da Ressurreição. 5h, Missa da Ressurreição. 7h, Café comunitário. 18h30, Missa Pascal. 



PARÓQUIA SANTO ANTÔNIO E SÃO FRANCISCO DE ASSIS

Quinta, 17: 19h, na Matriz de São Francisco e na capela de Santo Antônio – Missa da Ceia do Senhor, com lava-pés e instituição da eucaristia. 21h às 23h30, vigília (21h, terço dos homens, pastoral social e comunidade; 22h, pastoral da família, Encontro de Casais com Cristo, acolhimento, coleta e comunidade).

Sexta, 18: Continuação da vigília – 6h, padre, seminaristas, diácono, ministros extraordinários da comunhão eucarística (Meces) e Pastoral da Exéquias, Arautos do Evangelho e religiosas; 7h30, pastoral do batismo, pastoral da liturgia, pastoral do dízimo e comunidade; 9h, catequese, crisma e comunidade; 10h, comunidade de Santo Antônio e Santa Luzia, pastoral da comunicação e comunidade; 11h30, grupo de oração e grupo jovem; 15h, ação litúrgica da Paixão do Senhor com adoração da Santa Cruz, na Matriz de São Francisco de Assis.

Sábado, 19: 20h, Vigília Pascal, Bênção do fogo, Círio Pascal e renovação das promessas do batismo. 22h, Procissão do Ressurreição.

Domingo, 20: Matriz de São Francisco de Assis – missa de Páscoa, às 7h30 e 9h30 e missa solene de Páscoa, às 18h. Capela de Santo Antonio – missa de Páscoa às 8h, 10h e 18h.



IGREJA LUTERANA

Sexta, 18: 19h30 a meia noite – culto, até as 20h30 e depois conversas e vídeos. 

Domingo, 20: 10h30, Culto de Páscoa.

Rua será interditada novamente para continuação de obras

A intervenção acontecerá durante os dias do feriadão



Mais uma vez a Rua João Alberto Knust, uma das principais vias de acesso ao centro do distrito de Conselheiro Paulino, será interditada, amanhã, 18, até próxima quarta, 23. De acordo com a concessionária Águas de Nova Friburgo — responsável pela obra — o motivo dessa nova intervenção será a continuação das obras de extensão de rede de esgotamento sanitário e recomposição de pavimento. No início do mês passado, o trecho foi interditado para que essas obras começassem a ser realizadas. O transtorno gerado pela interrupção do trânsito desagradou os comerciantes, que alegaram não terem sido avisados com antecedência.

Desta vez, as intervenções ocorrerão durante o feriadão, o que não deve causar complicações no trânsito. As equipes da concessionária visitaram estabelecimentos no local durante esta semana comunicando a interrupção do tráfego.


Águas de Nova Friburgo explica interdição


A partir desta sexta, 18, a Concessionária Águas de Nova Friburgo inicia mais uma etapa das obras de extensão de rede de esgoto na Rua João Alberto Knust, em Conselheiro Paulino. O trânsito no local ficará interrompido das 7h do dia 18 até 17h do dia 23 de abril. A empresa espera finalizar os serviços e a recomposição do pavimento neste período.

A primeira fase das obras nesta rua foi realizada no início de março deste ano, após o carnaval, período em que o fluxo de carros na cidade é menos intenso.  Como a João Alberto Knust é a principal via de acesso ao centro de Conselheiro, o setor operacional sempre programa as intervenções durante feriados prolongados, como o que teremos a partir de sexta e culminando com o feriado de Tiradentes. 

"As obras são necessárias para viabilizar o funcionamento da ETE Conselheiro Paulino, a 4ª estação de Esgoto que a Águas de Nova Friburgo está implantando na cidade. As obras da ETE Conselheiro foram iniciadas em 2013 e ela vai tratar 417 milhões de litros de esgoto por mês, um investimento de mais de 17 milhões de reais”, informou o gerente de operações, o engenheiro Denis Grassi.

 "Serão implantados mais de 18,6 km de rede de esgoto e 6,5 km de "recalque” provenientes das 11 estações elevatórias. Estas estações estão previstas para bombear o esgoto coletado em diversos pontos do bairro e, assim, evitar o aprofundamento da tubulação coletora", informou a arquiteta Beatriz Guimarães, coordenadora de engenharia.

 "De 18 a 23 de abril, teremos 25 funcionários, 3 engenheiros e 5 supervisores executando os serviços na João Alberto Knust. Todas as nossas obras são informadas previamente à PMNF, Autran e Faol. A assessoria de comunicação enviou o comunicado ao jornal de maior circulação em Nova Friburgo, A Voz da Serra. A empresa distribuiu também, semana passada, panfletos com as informações do dia em que as obras seriam iniciadas”. 

Vale ressaltar que as obras serão adiadas em caso de chuvas na região.




POR AVS

Apagão atinge 11 estados; governo nega relação com alta do consumo de energia

Ministério nega relação de apagão com alta do consumo de energia

Regiões mais afetadas foram Sudeste, Sul e Centro-Oeste.
ONS afirmou que curto-circuito em linha de transmissão iniciou apagão.



O secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, descartou nesta terça-feira (4) que a falha registrada mais cedo, e que provocou falta de energia em parte dasregiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, além do Tocantins, no Norte, esteja relacionada com o aumento do consumo de energia nas últimas semanas, provocado pelo calor.
Pouco depois da entrevista, na qual Zimmermann não soube informar o que provocou o problema que prejudicou 11 estados do país, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) divulgou em comunicado oficial que o apagão iniciou-se após um curto-circuito numa linha de transmissão localizada em Tocantins.
Ao todo, 11 estados foram atingidos. Em São Paulo, 1,2 milhão de consumidores foram prejudicados, segundo a Eletropaulo. No Rio, 880 mil, informaram as concessionárias Light e Ampla.
O diretor-geral do ONS, Hermes Chipp, calcula que 6 milhões de pessoas foram afetadas pelo apagão. Para isso, ele considerou a média de densidade populacional de todos os estados do Sudeste, Centro-Oeste e Sul, com quatro moradores por residência atingida. Seriam, portanto, 1,5 milhão de unidades consumidoras atingidas.
Para ministério, problema maior foi evitado
O secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia apontou, durante a entrevista coletiva desta terça, que não houve “desligamento descontrolado” e que a interrupção no fornecimento de energia foi provocada por um sistema automático que atua na rede de transmissão de energia elétrica e impede que uma falha cause problemas maiores.
“Aparentemente, o sistema funcionou como deveria funcionar. Poderia ter acontecido [interrupção no fornecimento de energia] como em outros eventos, como quando apagou o Nordeste todo”, disse Zimmermann.
Ele se refere ao episódio ocorrido em agosto do ano passado, quando uma queimada em uma fazenda do Piauí atingiu a rede de distribuição de energia e levou à falta de luz em todos os estados da região Nordeste. Na ocasião, a distribuição caiu de 10 mil megawatts para mil megawatts e deixou no escuro por algumas horas boa parte dos municípios nordestinos.
Zimmermann disse ainda que o sistema de energia brasileiro é “complexo”, conta com mais de 100 mil quilômetros de linhas de transmissão, e que falhas como a registrada nesta terça “ocorrem, apesar de trabalharmos com nível de confiabilidade muito alto”.
“[A falha no fornecimento de energia registrada nesta terça] não tem nada a ver com estresse do sistema”, disse Zimmermann durante entrevista coletiva na sede do Ministério de Minas e Energia, em Brasília.
No início da entrevista, Zimmermann afirmou que o sistema elétrico brasileiro é “equilibrado” e que não existe risco de faltar energia no país devido à falta de chuva e queda no nível dos principais reservatórios de hidrelétricas.
O discurso é muito parecido com o do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, que afirmou na segunda-feira (3) que é “zero” o risco de faltar energia no país, por conta da falta de chuvas e queda no nível dos reservatórios de hidrelétricas.
Recorde negativo
O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, afirmou que a afluência (quantidade de água que chega aos reservatórios das hidrelétricas e pode ser transformada em energia) do mês de janeiro é o pior desde 1954 para as regiões Sudeste e Centro-Oeste, onde estão as usinas responsáveis por 70% da geração de energia do país.
“Em termos de afluência, tivemos um janeiro atípico, muito abaixo da média de longo prazo. Apesar disso, temos um equilíbrio estrutural entre oferta e demanda [de energia elétrica]. Temos uma grande quantidade de usinas e uma diversificação que permitem que, mesmo tendo um janeiro ruim em termos de afluência, não tenhamos nenhum problema no fornecimento de energia”, disse Tolmasquim.
Veja o que aconteceu em cada um dos 11 estados (ordem alfabética):
Espírito Santo
Sete municípios do Espírito Santo registraram apagão elétrico, na tarde desta terça. Segundo a Escelsa, as cidades de Nova Venécia, Ecoporanga, Mantenópolis, Barra de São Francisco, Água Doce do Norte, Vila Pavão e o bairro Barra do Sahy, em Aracruz foram atingidas.
Goiás
A Companhia Energética de Goiás (Celg) informou, por meio de sua assessoria, que houve uma redução na distribuição de energia na região sudoeste do estado. Mas disse que ainda está fazendo o levantamento de quantos consumidores ficaram sem energia elétrica.
Mato Grosso
As Centrais Elétricas de Mato Grosso (Cemat) informaram que 111 mil unidades consumidoras foram vítimas do apagão nacional causado por uma perturbação no sistema. A falha foi registrada às 14h03 (horário de Brasília).
Na capital, Cuiabá, em três minutos já começou a ser restabelecido o serviço de energia, mas o Operador Nacional do Sistema (ONS) solicitou desligamento da área em virtude das falhas registradas.
Mato Grosso do Sul
Sete cidades de Mato Grosso do Sul foram afetadas pela falta de energia elétrica. A assessoria de imprensa da companhia Enersul, que atende 74 dos 79 municípios do estado, informou que ficaram sem energia os municípios de Miranda, Bodoquena, Bonito, Aquidauana, Anastácio e Dois Irmãos do Buriti.
Em Campo Grande, 4% da cidade foi afetada. Essas localidades, conforme a empresa, representam 14% da área de concessão.
Minas Gerais
Cerca de 230 mil pessoas de 63 cidades mineiras ficaram sem energia elétrica, de acordo com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). A empresa informou que foram atingidos municípios da regiões Metropolitana de Belo Horizonte, Sul, Oeste, Leste e Triângulo Mineiro.
No Sul de Minas, pelo menos cinco cidades ficaram sem energia entre 14h e 14h40. Segundo a Cemig, houve falha em Guaxupé, Muzambinho, Guaranésia, Monte Belo e Botelhos.
A empresa informou que o problema ocorreu às 14h02, e começou a ser resolvido às 14h48. A Cemig afirmou que às 15h58 todos os locais já estavam com as energias restabelecidas.
Paraná
Um problema no fornecimento de energia deixou sem luz 548 mil consumidores em 61 cidades do Paraná, de acordo com a Companhia Paranaense de Energia (Copel). Este número representa 13% dos 4,1 milhões de consumidores atendidos pela Copel no estado.
Rio de Janeiro
Aproximadamente 880 mil pessoas ficaram sem luz no Rio de Janeiro, segundo informações das concessionárias que atendem ao estado, Light e Ampla.
A Light informou que interrompeu o fornecimento de energia em bairros do Subúrbio e Zona Oeste do Rio e Baixada Fluminense, a pedido do ONS.
A falta de energia atingiu os bairros de Bangu, Campo Grande, Guaratiba e Jacarepaguá, na Zona Oeste; Méier, Pavuna, Inhaúma, Irajá, Penha, Cascadura e Madureira, no Subúrbio; e os municípios de Mesquita, Belford Roxo, Queimados e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.
Rio Grande do Sul
O problema nacional com o apagão iniciado em Tocantins gerou interrupção no fornecimento em mais de 392 mil pontos de pelo menos 73 municípios do Rio Grande do Sul. Os dados são das três mais importantes companhias de energia elétrica e da maior cooperativa de distribuição do estado.
Em todos os locais, o desligamento ocorreu por volta das 14h e terminou antes das 16h.
Santa Catarina
Celesc informou que registrou interrupção no fornecimento de energia em diversas cidades. O desligamento ocorreu em todo o estado e, segundo a empresa, todas as regiões tiveram algum problema pontual.
São Paulo
No estado de São Paulo, a AES Eletropaulo informou que o problema afetou o fornecimento de energia em cidades da Grande São Paulo e bairros da capital paulista, atingindo mais de 1,2 milhão de consumidores na capital paulista. Segundo a empresa, foram afetadas ainda as cidades de Vargem Grande Paulista, Embu, Diadema e Cotia. Entre os bairros da capital impactados estão Capão Redondo, Pedreira, Cidade Ademar, Mooca, São Mateus, Vila Prudente, Itaquera, Vila Mariana, Guaianases e Vila Matilde.
Mas o problema em São Paulo chegou também ao metrô da capital. A ViaQuatro, que opera a Linha 4-Amarela, relata que teve uma "falha no sistema elétrico de tração entre o trecho das estações Paulista e Luz" nesta tarde. A concessionária informou, às 15h40, que a operação foi restabelecida às 15h18. A assessoria do Metrô informou que não foram identificados problemas em outras linhas.
Às 15h45, a CET diz que as regiões Oeste, Sul e Leste da cidade tinham semáforos apagados em alguns cruzamentos, por isso os motoristas devem redobrar a atenção e reduzir a velocidade.
Tocantins
Segundo a Companhia de Energia Elétrica do Estado do Tocantins (Celtins), o apagão atingiu 95 das 139 cidades Recorde negativo
Recorde negativo
O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, afirmou que a afluência (quantidade de água que chega aos reservatórios das hidrelétricas e pode ser transformada em energia) do mês de janeiro é o pior desde 1954 para as regiões Sudeste e Centro-Oeste, onde estão as usinas responsáveis por 70% da geração de energia do país.
“Em termos de afluência, tivemos um janeiro atípico, muito abaixo da média de longo prazo. Apesar disso, temos um equilíbrio estrutural entre oferta e demanda [de energia elétrica]. Temos uma grande quantidade de usinas e uma diversificação que permitem que, mesmo tendo um janeiro ruim em termos de afluência, não tenhamos nenhum problema no fornecimento de energia”, disse Tolmasquim.
Veja o que aconteceu em cada um dos 11 estados (ordem alfabética):
Espírito Santo
Sete municípios do Espírito Santo registraram apagão elétrico, na tarde desta terça. Segundo a Escelsa, as cidades de Nova Venécia, Ecoporanga, Mantenópolis, Barra de São Francisco, Água Doce do Norte, Vila Pavão e o bairro Barra do Sahy, em Aracruz foram atingidas.
Goiás
A Companhia Energética de Goiás (Celg) informou, por meio de sua assessoria, que houve uma redução na distribuição de energia na região sudoeste do estado. Mas disse que ainda está fazendo o levantamento de quantos consumidores ficaram sem energia elétrica.
Mato Grosso
As Centrais Elétricas de Mato Grosso (Cemat) informaram que 111 mil unidades consumidoras foram vítimas do apagão nacional causado por uma perturbação no sistema. A falha foi registrada às 14h03 (horário de Brasília).
Na capital, Cuiabá, em três minutos já começou a ser restabelecido o serviço de energia, mas o Operador Nacional do Sistema (ONS) solicitou desligamento da área em virtude das falhas registradas.
Mato Grosso do Sul
Sete cidades de Mato Grosso do Sul foram afetadas pela falta de energia elétrica. A assessoria de imprensa da companhia Enersul, que atende 74 dos 79 municípios do estado, informou que ficaram sem energia os municípios de Miranda, Bodoquena, Bonito, Aquidauana, Anastácio e Dois Irmãos do Buriti.
Em Campo Grande, 4% da cidade foi afetada. Essas localidades, conforme a empresa, representam 14% da área de concessão.
Minas Gerais
Cerca de 230 mil pessoas de 63 cidades mineiras ficaram sem energia elétrica, de acordo com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). A empresa informou que foram atingidos municípios da regiões Metropolitana de Belo Horizonte, Sul, Oeste, Leste e Triângulo Mineiro.
No Sul de Minas, pelo menos cinco cidades ficaram sem energia entre 14h e 14h40. Segundo a Cemig, houve falha em Guaxupé, Muzambinho, Guaranésia, Monte Belo e Botelhos.
A empresa informou que o problema ocorreu às 14h02, e começou a ser resolvido às 14h48. A Cemig afirmou que às 15h58 todos os locais já estavam com as energias restabelecidas.
Paraná
Um problema no fornecimento de energia deixou sem luz 548 mil consumidores em 61 cidades do Paraná, de acordo com a Companhia Paranaense de Energia (Copel). Este número representa 13% dos 4,1 milhões de consumidores atendidos pela Copel no estado.
Rio de Janeiro
Aproximadamente 880 mil pessoas ficaram sem luz no Rio de Janeiro, segundo informações das concessionárias que atendem ao estado, Light e Ampla.
A Light informou que interrompeu o fornecimento de energia em bairros do Subúrbio e Zona Oeste do Rio e Baixada Fluminense, a pedido do ONS.
A falta de energia atingiu os bairros de Bangu, Campo Grande, Guaratiba e Jacarepaguá, na Zona Oeste; Méier, Pavuna, Inhaúma, Irajá, Penha, Cascadura e Madureira, no Subúrbio; e os municípios de Mesquita, Belford Roxo, Queimados e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.
Rio Grande do Sul
O problema nacional com o apagão iniciado em Tocantins gerou interrupção no fornecimento em mais de 392 mil pontos de pelo menos 73 municípios do Rio Grande do Sul. Os dados são das três mais importantes companhias de energia elétrica e da maior cooperativa de distribuição do estado.
Em todos os locais, o desligamento ocorreu por volta das 14h e terminou antes das 16h.
Santa Catarina
Celesc informou que registrou interrupção no fornecimento de energia em diversas cidades. O desligamento ocorreu em todo o estado e, segundo a empresa, todas as regiões tiveram algum problema pontual.
São Paulo
No estado de São Paulo, a AES Eletropaulo informou que o problema afetou o fornecimento de energia em cidades da Grande São Paulo e bairros da capital paulista, atingindo mais de 1,2 milhão de consumidores na capital paulista. Segundo a empresa, foram afetadas ainda as cidades de Vargem Grande Paulista, Embu, Diadema e Cotia. Entre os bairros da capital impactados estão Capão Redondo, Pedreira, Cidade Ademar, Mooca, São Mateus, Vila Prudente, Itaquera, Vila Mariana, Guaianases e Vila Matilde.
Mas o problema em São Paulo chegou também ao metrô da capital. A ViaQuatro, que opera a Linha 4-Amarela, relata que teve uma "falha no sistema elétrico de tração entre o trecho das estações Paulista e Luz" nesta tarde. A concessionária informou, às 15h40, que a operação foi restabelecida às 15h18. A assessoria do Metrô informou que não foram identificados problemas em outras linhas.
Às 15h45, a CET diz que as regiões Oeste, Sul e Leste da cidade tinham semáforos apagados em alguns cruzamentos, por isso os motoristas devem redobrar a atenção e reduzir a velocidade.
Tocantins
Segundo a Companhia de Energia Elétrica do Estado do Tocantins (Celtins), o apagão atingiu 95 das 139 cidades de Tocantins. A interrupção do fornecimento de energia elétrica no estado durou quatro minutos, entre 13h03 e 13h07 (horário local), e afetou 362 mil unidades consumidoras.
Apagões recentes
Além do apagão em agosto do ano passado, na região Nordeste, em 2012, também nos estados nordestinos, ocorreram interrupções de energia em setembro e outubro.
Em 22 de setembro, segundo o ONS, um problema nas interligações Sudeste/Norte e Sudeste/Nordeste atingiu o fornecimento de energia elétrica em parte da região Nordeste do país.
Em outubro daquele ano, outra ocorrência afetou os nove estados do Nordeste no final da noite do dia 25 e início da madrugada do dia 26.
Em outubro daquele ano, outra ocorrência afetou os nove estados do Nordeste no final da noite do dia 25 e início da madrugada do dia 26.de Tocantins. A interrupção do fornecimento de energia elétrica no estado durou quatro minutos, entre 13h03 e 13h07 (horário local), e afetou 362 mil unidades consumidoras.
Apagões recentes
Além do apagão em agosto do ano passado, na região Nordeste, em 2012, também nos estados nordestinos, ocorreram interrupções de energia em setembro e outubro.
Em 22 de setembro, segundo o ONS, um problema nas interligações Sudeste/Norte e Sudeste/Nordeste atingiu o fornecimento de energia elétrica em parte da região Nordeste do país.
Em outubro daquele ano, outra ocorrência afetou os nove estados do Nordeste no final da noite do dia 25 e início da madrugada do dia 26.

Justiça condena ex-prefeito de Nova Friburgo, RJ, por desvio de verbas

Demerval Barbosa Moreira Neto era o prefeito durante a tragédia de 2011.
Além dele, ex-secretários de educação e governo foram condenados.


Demerval Barbosa Moreira Neto, ex-prefeito de Nova Friburgo, Região Serrana do Rio, foi condenado pela justiça por improbidade administrativa. Além do ex-prefeito, também foram condenados o ex-secretário de educação e atual vereador Marcelo Verly, o ex-secretário de governo José Ricardo Lima e dois donos de uma empresa que teria sido contratada pelo município.
A decisão, que foi divulgada no diário eletrônico do Tribunal Regional Federal (TRF) no último dia 13 de setembro, acusa o político pelo desvio de verbas federais, cerca de R$ 10 milhões, destinadas as vítimas da tragédia de janeiro 2011, além de pagamento de serviços que não foram prestados e fraude na escolha de empresas contratadas.
A denúncia sobre o desvio de dinheiro partiu do Ministério Público Federal. O TRF tomou a decisão em primeira instância e ainda cabe recurso por parte dos condenados.
Demerval foi prefeito entre 2010 e 2011, quando a cidade foi atingida pelo temporal que matou mais de 400 pessoas. De acordo com a decisão do juiz Eduardo Francisco de Souza, o ex-prefeito terá que devolver ao município mais de R$ 316 mil e o ex-secretário, Marcelo Verly, mais R$ 71 mil.
Ainda segundo a decisão, Dermeval terá os direitos políticos suspensos por oito anos e deve pagar uma multa que pode chegar a duas vezes o valor do prejuízo que teria provocado. Já o vereador Marcelo Verly ficará sem os direitos políticos por três anos. Além disso, os dois estão proibidos de assinar contratos com o poder público.
A equipe de jornalismo da Inter TV fez contato com todos os condenados nesta decisão. O ex-prefeito e os responsáveis pela empresa Cheinara Dedetização informaram que não foram notificados e que vão buscar informações. O ex-secretário de educação e o ex-secretário de governo disseram que todos os serviços foram prestados de forma correta e que vão recorrer da decisão.